Sabiaguaba: Um passeio pela Foz do Rio Cocó

A Praia da Sabiaguaba se localiza na foz do rio Cocó em Fortaleza. É possível chegar lá de ônibus até o Caça e Pesca e pegar um pequeno barco ou ainda ir de carro passando pela ponte. Sabiaguaba tem uma bela paisagem que pode ser desfrutada a qualquer dia do ano. As barracas são simples e contam com uma cerveja gelada e um menu bem completo.

Vista aérea da Praia da Sabiaguaba
Vista aérea da Praia da Sabiaguaba

Dentre os atrativos está o passeio pelas rochas. É possível caminhar sobre as pedras na maré baixa e encontrar a vida marinha brotando por ali como pequenos peixes e caranguejos. Aproveite para sentir a brisa e curtir bastante o sol como um Nativo pois a praia não tem tanta frequência como as outras barracas da Praia do Futuro e, portanto, não tem ambulantes.

Uma dica é ficar até o entardecer e assistir ao por do sol por trás do mangue. A praia fica mais deserta e a paisagem é recheada de pescadores com suas tarrafas. Leve quem você acha que é importante para você e aproveite. Imperdível! Veja o vídeo em https://youtu.be/QqCASdmSdyE

Vista aérea da Praia da Sabiaguaba
Vista aérea da Praia da Sabiaguaba
Vista aérea da Praia da Sabiaguaba
Vista aérea da Praia da Sabiaguaba

Serviço: O Passeio pelo rio Cocó pode ser feito contratando-se o barco e custa de R$ 10,00 a R$ 15,00 somente na Maré Alta. A travessia do rio custa R$ 2,50 por pessoa. Um taxi da Barraca Croco Beach até a Barraca Sabiaguapa Park fica por R$ 30,00.

Conhecer o Museu Gugenheim em Bilbao superou minhas expectativas

Bilbao, Quinta-feira, 1o de outubro de 2015

Não dormi a noite inteira. O ônibus que me levava de A Coruña até Bilbao era desconfortável e parava a cada cidade. Foram muitas cidades durante as 10 horas de viagem. Pela janela eu observava a lua refletida no mar. Na primeira parada solicitei ao motorista para pegar umas coisas na minha mala que estava no bagageiro uma vez que ele não havia autorizado a subir (pois nem cabia). Peguei o computador, a comida que havia comprado e o livro.

Cheguei em Bilbao as 5:15 da manhã. A rodoviária é um vão aberto com bancos, parece aquelas do interior do Ceará. Pelo adiantar da hora, não havia nada aberto. E eu só poderia entrar no quarto que havia alugado as 8:30. Sentado no banco comecei a conversar com um homem chamado Pascal. Ele havia feito o caminho de Santiago (e a partir de Logroño também). Ele era um senhor já aposentado que tinha dado a volta ao mundo. Mora atualmente numa ilha próximo a Madagascar e ele me mostrou um caderno com coisas que ele apanhou no caminho. Cada dia uma folha, um ingresso, algo. Tomamos café e eu fui para o metrô decidido a fazer o mesmo.

Fiquei hospedado via AirBNB num bairro chamado Erandio, na região metropolitana de Bilbao. Cheguei e fui recebido pelo Oscar, meu host. Deu-me um mapa, explicou tudo e me levou ao quarto. O quarto ficava no andar de cima do apartamento duplex. Tinha uma janela no teto e um banheiro. A cama estava sobre um tatame. Achei muito limpo e simpático.

Bilbao - Espanha
Bilbao – Espanha
Tomei banho, comi um omelete que eu fiz. Ah, que saudades de um Cuscuz. Fui dormir. Acordei as 14hs e fui para o centro. Caminhei por ruas limpas e gente bonita. Parei numa loja de produtos latinos e tomei um guaraná antártica para matar a saudade do Brasil. Continuei o caminho passando pela ponte (Euskaduna Zubia) sobre o Rio Nervión. cheguei ao parque e ao Museu de Belas Artes. Andando pelos jardins encontrei com quatro nordestinas. Uma pernambucana e três cearenses: D Francisca, Hellen, Lidiane e a mãe da Lidiane. Dona Francisca mora em Fortaleza e me deu um grande abraço. Ficamos conversando e já combinamos passeio para sábado e a Hellen me chamou para dormir na casa dela. Pessoas legais e com alto astral sempre elevam a energia do nosso dia. Foi muito bom!

Museu Gugenheim, Bilbao, Espanha
Museu Gugenheim, Bilbao, Espanha
Segui caminhando até ver o Museu Guggenheim! Uau! Muito mais do que eu imaginava! Nenhuma parede reta. Todas curvas. A cobertura de Titânio reluz com o sol e deixa a construção ainda mais mágica. Resolvi entrar e descobri que há visitas guiadas ao meio dia. Como já eram 4 da tarde eu decidi ficar olhando por fora e, no dia seguinte, ir ao museu.

Museu Gugenheim, Bilbao, Espanha
Museu Gugenheim, Bilbao, Espanha

Sai pela outra porta e tive outra surpresa. A visão era ainda mais bonita. Uma pequena passarela que divide o espelho d´água do rio Narvión com uma enorme escultura de uma aranha criada por Louise Borgeois foi meu pouso por horas. Muitas orações de agradecimento e muitas fotos também. De repente uma nuvem de água começa

Lá sentado começo a ver uma névoa saindo por baixo da passarela. O vento trazia a água para meu rosto. As gotículas faziam parecer uma nuvem, uma névoa. A instalação é chamada de “Fog Sculputre” da artista Fujiko Nakaya. Já anoitecendo tomo um susto com um barulho e umas labaredas de fogo! É outra instalação chamda de “Fire Fountain” por Yves Klein. A cada cinco minutos surgem, do espelho d’água, labaredas de fogo.

Museu Gugenheim, Bilbao, Espanha
Museu Gugenheim, Bilbao, Espanha

Mas a melhor instalação estava para ser descortinada. Um lindo por do sol trouxe-me a paz necessária para todo meu ano. Raios multicoloridos que nenhuma câmera pode captar. Foi como um sonho. Um sonho feliz. Ainda fiquei pelos arredores do Museu até anoitecer e voltei para casa. Com o coração cheio de paz.

Passeando pela Galícia, na Espanha

Torre de Hércules - A Coruña - Espanha
Torre de Hércules – A Coruña – Espanha

Não estava no meu roteiro ir para A Coruña, na Galícia, mas conheci um peregrino – o Jacobo – que me convenceu de dar uma passadinha por lá. A cidade é muito bonita. Lindas paisagens, mas destaquei a Torre de Hércules (Site) para mostrar aqui. Chegar lá é muito fácil usando transporte público ou taxi, para entrar é necessário pagar uma ingresso de 3 Euros. A vista do topo é muito linda! Impossível não parar e agradecer por tudo aquilo.

Outro passeio imperdível é o de SeagWay (pela ECO-Logica). Na foto abaixo estou na “Fuente de Los Surfistas” depois de quase uma hora de passeio. Tudo se inicia na Torre de Hércules e percorre todo o Casco Velho da Cidade. O guia, muito atencioso, fala dos diversos lugares. Além da excelente sensação do transporte, as paisagens tornam inesquecível o passeio.

Fuente de Los Surfistas
Fuente de Los Surfistas

Viajei em Setembro de 2016.

Escritos de Um Pensador

Superação é uma palavra que me deixa intrigado. A força dela remete a algo bom, mas nem tudo são flores. Se superar requer uma certeza do que você não é capaz. Somente fazendo algo além do que você é capaz te traz essa superação. Lembro que percorrer grandes distâncias te faz superar os limites do seu corpo, passar dias sem fazer o que gosta te faz superar suas certezas e não comer o que gosta supera suas vontades insaciáveis.

Torre de Hércules - A Coruña - Espanha
Torre de Hércules – A Coruña – Espanha

Desde que haja uma consciência na sua vontade é fácil traçar o limite da superação. O que não é fácil é ter essa consciência. A vontade se mistura com a necessidade e essas, por sua vez, se emaranham com o desejo. Parecem palavras sinônimas e, com isso, confusas. Saber exatamente nossas necessidades, entretanto, clareia tais definições. O desejo vem e vai sem muita explicação. Simples assim. Estou desejando café, mas um capucino resolve… A vontade já tem um grau maior de certeza. “Quero ser aprovado no curso X” é um exemplo. Tudo vai ser feito para alcançar tal objetivo, mas… pode ser que no meio do caminho… bem… no meio do caminho haja um amor que te leve para outros mares e você nem consiga mais frequentar o curso. Já a necessidade é premente: “Eu tenho necessidade de comer, beber e respirar, necessidade de descansar meu corpo.” Superar os limites das necessidades, sim. São maneiras usurpadoras de adquirir força.

Um fim sempre merece um Início

Depois de percorrer meu caminho de peregrinação chega a hora de finalizar o ciclo e iniciar um novo! Sair do Seminário Menor em Santiago de Compostela foi doloroso. Quase não saio dos jardins que o circundam. Fiquei um tempo contemplando a vista da cidade com a Catedral ao fundo. Foi bom respirar aquele ar, lembrar das pessoas que estiveram ao meu lado nesses dias, das alegrias e dificuldades que eu tive.

Muito bom saber que novas aventuras me esperavam. Que meu projeto “Um Cearense Pelo Mundo” seria realizado. Um sonho! Minha próxima parada: A Coruña!

Saindo de Santiago de Compostela
Saindo de Santiago de Compostela

ESCRiTOS de um PENSADOR

Não sei onde cada letra dessa música vai me levar. Não sei onde as palavras nem as frases vão tocar. Mas creio que uma força maior está lingando-as com um objetivo. Objetivo que será esclarecido mediante a passagem do severo Tempo. Tempo que desperdiçamos com coisas inúteis e fúteis. Tempo que pode ser melhor utilizado, nunca desprezado. Onde está aquele tempo que eu deixei de dedicar aos que amo? (Será que os amo, realmente?) Onde está a falta de tempo para fazer coisas que nada valem (Pensamos que valem muito). O tempo pode ser relativo, mas ele é a única coisa que não podemos recuperar. Ninguém, nenhum ser vivente pode recuperar o Tempo. Sabe esse minuto que você suspirou? Ele foi e – NÃO – não volta mais.

Não adianta, entretanto, se angustiar com a falta de tempo, de objetivos ou de paz. Encarar cada uma dessas necessidades como aprendizes torna tudo mais fácil. A criança não nasce sabendo falar… Portanto, está na nossa vida aprender a viver. E a cada tempo percorrido – bem aproveitado ou não – aprendemos um tiquinho. As vezes tende a zero, as vezes é um lance inteiro de degraus no sentido à melhoria. Mas as vezes pegamos um elevador que leva ao subsolo. Isso depende de que?
Não depende de muito e depende de todos. Tais movimentos são necessários. A montanha-russa desce para subir e sobe para descer rapidamente… Os ciclos não são fáceis de identificar, mas estão presentes em nossas vidas./

Chegada à Santiago de Compostela

Mesmo após um ano, parece que foi ontem! Caminhar a pé 525 Km e tornar-me um Peregrino foi uma vitória que dedico a muitos! Dedico a aqueles que me incentivaram, a aqueles que me acompanharam e a aqueles que acreditaram em mim.

Hoje inicio uma nova etapa. Uma etapa mais árdua onde o caminho é uma folha em branco. A bota são as palavras e na mochila tudo o que eu tenho de bom.

Catedral de Santiago de Compostela
Catedral de Santiago de Compostela

ESCRITOS DE UM PENSADOR
1o ATO

É muito difícil traçar um objetivo e conquistá-lo. A emoção de percorrer um caminho sem uma porta de saída é sufocante. Novas emoções percorrem as veias já surradas pelo tempo. A pele, com as marcas do tempo, é escudo para as intempéries. A retina absorve não só o tempo, mas as energias mundanas. Toda a solidão é bem-vinda para mostrar que esse mundo requer lutas individuais. Quando um ser resolve dedicar-se a outro no casamento, o outro será a testemunha das lutas do primeiro. Mesmo depois de “Juras de Altar”, as lutas não mudam. E abrir mão das suas lutas é algo complexo e sutil. Anos, horas, meses, dias, cores, formas, cheiros: tudo marca a nossa vida. Vida que anda diante de certezas e de mentiras, porque não? Dentre os objetivos febris está o sustento, a busca pela “Plata”, a busca pela beleza e a busca pelas altas posições sociais. O trabalho vem como forma de alcançar tais objetivos. E mesmo após alcançá-los, a satisfação não acompanha. Novos objetivos são traçados mesmo antes daqueles da primeira frase.

Não sei qual o meu objetivo. Talvez eu esteja sem, nesse momento. Momento de limbo. Momento de apenas esperar o que vai ocorrer. Não tenho dúvidas, mas também não tenho certezas. Me sinto leve e sem pressa. Me sinto lento e rápido ao mesmo tempo. É como se fosse uma nova onda varrendo uma praia cheia de pegadas. Uma grande onda que percorreu uma praia extensa e que deixou tudo no ponto de receber novas (e efêmeras) pegadas. Como é bom essa sensação! Como é bom esse sentimento de que ali posso caminhar e levar os meus.

Na certeza que essa faixa de areia pode representar uma nova estratégia de viver eu encontro uma Paz infinitamente inexplicável. Paz. Sentimento que independe de onde esteja. É algo interior conquistado com muita dificuldade. Ter Paz não é simples, não é fácil. Porém, factível.

O doce sabor do vento que toca a minha pele me deixa em Paz. O sorriso do filho querido mostra-me a Paz. A família andando de mãos dadas também significa Paz. Uma alegria tremenda transborda o corpo quando podemos respirar esse sentimento singelo. Uma vontade de congelar o momento e de ficar nessa vibração torna-se vital.

Sensação de Liberdade

Desde que comecei a voar com o drone tive a oportunidade de experimentar várias sensações.

No primeiro dia foi um medo enorme. Ao fazer o primeiro vôo o Phantom veio em minha direção e bateu nas minhas pernas. Resultado: uma perna arranhada e a certeza de ter que aprender mais.

Daquele dia foram muitos vídeos no Youtube e a certeza que eu iria conseguir voar sem me machucar.

O Phantom 3 tem um aplicativo muito bom mas o principal é saber dividir as atenções entre o controle remoto e a posição dele. Nas últimas vezes já me senti mais seguro. Consegui várias tomadas interessantes mas nada se compara com a sensação de liberdade em voar!

Por onde voei

Entrevista na TV Diário esclarece o que ocorreu no último dia 31 de outubro

No programa Tudo Por Elas da TV Diário, Guido Militão esclarece o ocorrido no último sábado quando cancelou um vôo para o Egito e para Sharm El Sheik.

Foi nessa cidade turística onde iria mergulhar no mar vermelho que um avião russo da companhia Metrojet caiu supostamente em decorrência de um ataque de uma facção do Estado Islâmico que atua na península do Sinai.

Entrevista na TV Diário

A Bela Istambul

 

Na Turquia, a suntuosidade dos grandes palácios convive com uma cidade cheia de contrastes. A cidade está entre a Europa e a Ásia e eu fiquei em um hotel na frente do Bósforo, canal que divide os dois continentes. Já no transfer do aeroporto para o hotel observei um trânsito caótico ao som dos chamados para oração nas mesquitas. Aquele som me passou uma sensação diferente, como se eu estivesse sendo chamado… Sensação que perduraria durante toda a minha estada.

Ao chegar no Hotel Shangrilá-Bosforus fiquei intrigado com a grande segurança.Para entrar no estacionamento houve uma inspeção no veículo que me trazia e, para entrar, precisei passar as malas por um detector de metais. Ao chegar observei umas coroas de flores na entrada e já perguntei ao meu guia Ihs Tahir sobre do que se tratava. Ele me explicou que é costume quando há casamentos os noivos receberem essas coroas. Eu, mesmo cansado, decidi fazer fotos do casamento Turco.Istambul-ShangriLa2

O quarto do hotel foi uma experiência a parte, que deve ser compartilhada. Todo o luxo de um hotel 5 estrelas com uma vista bela da parte asiática da cidade na minha janela. O conforto da cama e os detalhes do quarto me fizeram, invariavelmente, comparar com cada Albergue que eu havia estado no Camiño de Santiago. Mas era outra experiência. Outras sensações que me também trouxeram a tona outras viagens que fiz com o Wellington, em hotéis da mesma classe.Hotel Shangri-Lá Bosforus

 

No dia seguinte meu guia falando português veio me encontrar no Saguão do Hotel. Timo conseguiu me mostrar em 3 dias os melhores pontos da cidade. Não somente os pontos turísticos, mas as curiosidades que eu tinha em relação a costumes locais.

Em círculos diplomáticos, muitas vezes, fazia-se-lhe referência como “Sublime Porta” ou simplesmente como “A Porta”. Esta porta era a entrada do palácio do grão-vizir, símbolo do poder otomano, que embora residisse no sultão, a sua face visível era a do governo do seu grão-vizir, pois era muito raro que alguém para além dos seus servidores mais diretos e altos dignitários otomanos fosse admitido à presença do sultão. (Wikipedia)

Porta Sublime Istambul
Porta Sublime

Foi em Istambul que precisei tomar uma decisão muito difícil no meu projeto de viajar 6 meses pelo mundo. Já vinha sentido dores agudas na minha perna esquerda que me impediram de prosseguir a viagem. Então decidi voltar para o Brasil para me cuidar.

Agradecendo o apoio da Casablanca Turismo que me proporcionou vivenciar momentos ímpares nesse destino. Desde a definição do roteiro e dos hotéis, até a escolha dos receptivos e dos guias locais. O apoio que recebi na hora que mais precisei foi ímpar.

Julio Guido viajou para a Turquia com o apoio:

CasaBlanca_Gold_logo

virtuoso